Dicas para passageiros com deficiência ou mobilidade reduzida

Passageiros com deficiência ou com mobilidade reduzida devem ser assistidos por profissional devidamente treinado nos aeroportos e aviões, assim como durante a viagem

Dicas para passageiros com deficiência ou mobilidade reduzida


Segundo a norma NBR - 14273, que dispõe sobre a acessibilidade à pessoa portadora de deficiência no transporte aéreo comercial, os passageiros com deficiência, como cadeirantes, ou pessoas com dificuldade de locomoção (mobilidade reduzida), devem ser assistidos por profissional devidamente treinado nos aeroportos e aviões, assim como durante a viagem.

Salvo algumas exceções, os serviços são disponibilizados gratuitamente e fazem parte dos regulamentos das companhias aéreas. Dentre os cuidados especiais oferecidos pelas companhias, temos:

->Disponibilidade de cadeira de rodas;
->Acompanhamento no embarque e desembarque;
->Assistência no armazenamento e na retirada da bagagem;
->Auxílio no portão de entrada e saída.

Alguns aspectos devem ser considerados, como apresentação de atestado médico confirmando a possibilidade de viajar:

->Pessoas com deficiência mental (sem acompanhante);
->Pessoas cujo estado de saúde e/ou nível de deficiência é instável;
->Pessoas que se submeteram à cirurgia recente;
->Pessoas que têm de transportar seringas cheias ou medicamentos líquidos.

É bom lembrar que as companhias aéreas estipulam um número determinado de deficientes a bordo. Dependendo da companhia, da rota e da transportadora, o limite de passageiros com deficiência pode variar entre três e cinco (incluindo passageiros com acompanhante).

Por tais motivos, é imprescindível fazer a reserva previamente, para obter todas as informações necessárias e fornecer todos os detalhes à companhia aérea sobre o passageiro com deficiência ou mobilidade reduzida.

A notificação às companhias aéreas deve ser feita, pelo menos, 48 horas antes da partida programada. Além disso, o responsável deve informar sobre a necessidade de suprimento de oxigênio, o uso de marca-passo, uso de cadeira de rodas ou muleta, transporte em maca, transporte de seringas cheias e medicamentos líquidos, entre outros.

Em prol da segurança dos demais passageiros, as pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida não podem ocupar determinados assentos na aeronave (saídas de emergência).

Para agilizar todo o processo de embarque e desembarque dos passageiros com deficiência ou mobilidade reduzida, as companhias aéreas disponibilizam cadeiras de rodas, muletas, andadores e bengalas.

Por Andréa Oliveira.

Fonte: Edestinos.

Ligamos para Você