Quais procedimentos devo tomar para viajar com meu pet no avião?

Para transportar animais de estimação no avião, algumas exigências das companhias aéreas devem ser seguidas; para isso, busque informações com antecedência

Transporte de animais em avião

O mês de julho começou e as férias escolares se aproximam. Vocês e seus filhos (as) resolveram visitar os parentes - que moram longe, e a melhor opção foi a viagem de avião. Mas e seu bichinho de estimação? O que fazer com ele? Afinal, ele também faz parte da família! Só que viajar de avião com pets não é tão simples, exige uma série de cuidados e medidas a serem tomadas com antecedência.

Para isso, vocês devem se planejar e começar a adaptação do animal na caixinha ou bolsa de transporte – caso contrário, a viagem pode virar um pesadelo. Além disso, vocês devem seguir algumas exigências das agências aéreas – que podem mudar de uma companhia para outra. Portanto, antes de planejar o voo, busque informações e respeito. Outro fator a ser considerado é avaliar as condições físicas de seu animalzinho de estimação.

Mesmo se o pet for calmo, às vezes, mudanças na rotina do animal causam estresse – principalmente se ele não estiver acostumado a ficar preso por muito tempo. Por outro lado, se seu pet já está acostumado a viajar de avião, não há com o que se preocupar. Mas não se esqueça de que o pet deverá permanecer na caixa de transporte - abaixo do assento, durante todo o voo.

Primeiramente, seu gato ou cão deve estar com a vacinação em dia. No embarque, será exigido o certificado de vacinação antirrábica (pets com mais de 3 meses), com aplicação de 30 dias a 1 ano antes do voo. Se não for possível comprovar a vacinação do animal ou se o prazo de vacinação estiver vencido, 30 dias antes da viagem, a vacina deverá ser aplicada – caso contrário, o pet não poderá embarcar.

Outro importante passo a ser tomado diz respeito à permissão ou não do transporte de animais em voos. Vocês devem se informar nas companhias aéreas quais as regras específicas de cada uma delas. Algumas empresas não autorizam o transporte de bichos de estimação na cabine, outras não permitem o transporte dos animais no porão. Portanto, pesquise para saber em qual companhia vocês poderão viajar com o seu gato ou cão.

Em posse das informações da companhia aérea quanto ao transporte de animais, vá até um petshop ou loja especializada para comprar a bolsa ou caixinha de transporte para seu pet. Veja as dimensões exigidas pela agência e lembre-se de que o animal necessita de espaço para se movimentar e se sentir confortável – afinal, ele ficará nesse espaço durante todo voo. Além disso, a caixa tem de ser resistente e com ventilação adequada.

A adaptação do pet dentro da caixa deve ser feita 15 dias antes da data da viagem. Nesse período, você deve fazer com que o estranho apetrecho se torne familiar para seu bichinho de estimação. Para isso, torne o local agradável, com brinquedinhos, petiscos e ossinhos – permita que o animal se alimente dentro da caixa e, quando ele estiver à vontade, feche a caixinha. Assim que ele terminar de comer, abra para que ele possa sair tranquilamente.

Peça ao veterinário a emissão do atestado de saúde do seu bichinho para a viagem aérea. Lembre-se de fazer isso, no máximo, dez dias antes do voo. Em geral, os médicos veterinários não prescrevem calmantes para os pets, pois causam muitos efeitos colaterais em viagens aéreas - como excitação, ansiedade paradoxal, sedação e relaxamento excessivos, além de outros males.  Não alimente o animal antes do voo (2 a 3 horas) para evitar enjoos, mas forneça água à vontade.

Se o voo do pet for no porão da aeronave, lembre-se de colocar nele identificação com nome, endereço e telefone – o mesmo deve ser feito na caixa de transporte. Forre a caixinha com tapete higiênico e deixe uma peça de roupa com ele para que fique mais tranquilo. Não se preocupe, pois a caixa fica presa no chão - com cordas e cintos, e o ambiente é iluminado, além de ter a mesma pressurização da cabine.

Por Andréa Oliveira.

Fonte: Melhores Destinos.

Ligamos para Você